Cardozo rebate críticas de que teria agido politicamente no caso Siemens

4 de dezembro de 2013

Política



Cardozo rebate críticas de que teria agido politicamente no caso Siemens
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-12-04/cardozo-rebate-criticas-de-que-teria-agido-politicamente-no-caso-siemens
Dec 4th 2013, 18:05

Luciano Nascimento

Repórter da Agência Brasil
Brasília - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, rebateu hoje (4), mais uma vez, as críticas de parlamentares do PSDB por sua conduta no caso Siemens. Cardozo repetiu o que disse ontem em audiência no Senado. "Não posso prevaricar. Se eu não encaminhasse este documento [apontando possíveis irregularidades em licitações], incorreria em delito e em uma postura incompatível com a ética que o cargo exige", reiterou o ministro. Cardozo falou durante uma audiência pública da Câmara dos Deputados.
No final de novembro, a divulgação de um dossiê gerou polêmica por envolver nomes de políticos do PSDB em irregularidades nas licitações para obras do metrô de São Paulo. O vazamento levou a troca de acusações entre tucanos e petistas. O ministro informou ter recebido uma pasta de documentos no dia 11 ou 12 de maio deste ano, com indícios de irregularidades nas licitações. O material foi entregue por Pedro Simão, secretário de Serviços da prefeitura de São Paulo, na residência do ministro.
A primeira informação da Polícia Federal (PF) era que o dossiê havia sido encaminhado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica. Depois, Cardozo disse que foi ele quem recebeu o material do deputado licenciado Simão Pedro (PT-SP) e o repassou à PF para verificar a "plausibilidade dos documentos".
O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) disse que o ministro agiu politicamente, ao encaminhar a investigação para a PF apurar, visando a atingir o PSDB. "Nunca vi um ministro da Justiça agir assim", criticou. Cardozo reagiu e disse que aprendeu a investigar com o deputado e lembrou que Sampaio tinha dito que o durante o governo do ex-presidente Lula, o então ministro da Justiça, Tarso Genro, prevaricou ao não encaminhar uma denuncia apócrifa para a PF.
"Não discriminei nada, porque não posso fazer isto. Aprendi com Vossa Excelência na ocasião, que acusou o ministro Tarso Genro de ter prevaricado por não pedir a investigação", disse Cardozo.
"Não me parece justo que quando a PF faz uma averiguação envolvendo pessoas do meu partido (PT), quando houve a apreensão de documentos no escritório da presidência da República, em São Paulo, é aplaudida e quando investiga o seu partido a instituição é criticada", finalizou.
Cardozo também negou que teria facilitado o vazamento de denúncias e defendeu que os parlamentares que tiveram os nomes citados peçam a perda do sigilo das investigações. "Como várias partes do inquérito já vazaram, sugiro que seja pedido a perda do sigilo e que possamos aprofundar as investigações", disse o ministro que estimou que os recursos desviados somam mais de R$ 500 milhões.


Edição: Beto Coura

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/kdt/7qh3fv

Espalhe:

Comentário(s)



Explore o MAXX

Notícias
Nacional

Internacional
Finanças
Política
Justiça
Segundo Caderno
Esportes


Educação
Inovação

Serviços
Barra de Ferramentas

Buscador
Previsão do Tempo
Tradutor
Viagens

Entretenimento
Cultura

Famosos
MAXX FM
Música
Sobre Rodas
Stations (Busca Rádios)

Estilo de vida
Homem

Mulher

Chat
Amizade

Encontros
Livre
Paquera
Sexo (+ 18 anos)
Webmasters
Outras salas

Fale conosco
Atendimento Virtual
Avalie-nos
E-mail

Fone Fácil
Fórum
Reclame Aqui
Redes Sociais

Copyright 2008 - 2016 © MAXX Internet - Todos os direitos reservados.
"O uso desse website significa que você aceita os Termos de Uso e a Política de Privacidade, em especial no que tange ao uso de cookies."

Informações Importantes | Política de Privacidade | Termos de Uso

Vá para o portal