Deputados acreditam não ser possível votar hoje novo Código de Processo Civil

5 de novembro de 2013

Política



Deputados acreditam não ser possível votar hoje novo Código de Processo Civil
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-11-05/deputados-acreditam-nao-ser-possivel-votar-hoje-novo-codigo-de-processo-civil
Nov 5th 2013, 15:04

Carolina Gonçalves

Repórter da Agência Brasil
Brasília – Apesar de o presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), ter informado que a votação do projeto de lei do novo Código de Processo Civil (CPC) está marcada para a tarde de hoje (5), líderes acreditam que o plenário não conseguirá avaliar toda a matéria.
Desde a semana passada, as lideranças partidárias na Câmara decidiram votar o texto por blocos. Para os parlamentares, será difícil avançar além dos 300 primeiros artigos da proposta que trata de temas variados, como mecanismos para acelerar a tramitação de processos na Justiça até as condições para pagamento de pensão alimentícia.
"Vamos começar a discussão e votação, mas ninguém acredita que vá ser uma votação rápida, simples. Pelo que a gente houve na reunião do Colégio de Líderes, temos um conjunto de parlamentares que vem participando ativamente desse debate. É natural que eles liderem debate, mas é natural que outros que não estão tão por dentro também façam ponderações", disse líder do governo na Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP). Chinaglia foi um dos parlamentares a adiantar que não acredita que a votação seja concluída hoje.
Além de extenso, o texto trata de pontos polêmicos. Deputadas que integram a bancada feminina anteciparam que pretendem se posicionar contra item da proposta apresentada pelo relator da matéria, deputado Paulo Teixeira (PT-SP), que trata do pagamento da pensão alimentícia. Na semana passada, uma alteração pedida pela bancada sobre o mesmo tópico fez com que a votação fosse remarcada.
O relator sinalizou que alteraria o trecho do texto, retirando a possibilidade de prisão em regime semiaberto em casos de não pagamento da pensão. Mas, em seguida, Teixeira recuou e manteve a flexibilização da pena.
"A bancada é radicalmente contrária à ampliação de três para dez dias, como a proposta do relator se encontra, para que possa ser paga a pensão e é radicalmente contra as diferentes formas de flexibilização da prisão", disse a coordenadora da bancada, deputada Jô Moraes (PCdoB-MG).
Segundo a parlamentar, a alteração representa uma ameaça às crianças. "Não vamos admitir. Faremos apelo aos líderes, vamos nos encontrar com o relator para tentar manter o que é hoje, que é um ganho", explicou. Pelas regras atuais, quem não pagar a pensão pode ser preso por um a quatro anos e ainda é punido com multa de um a dez salários mínimos.

Edição: Carolina Pimentel
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias, é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/kdt/7qh3fv

Espalhe:

Comentário(s)



Explore o MAXX

Notícias
Nacional

Internacional
Finanças
Política
Justiça
Segundo Caderno
Esportes


Educação
Inovação

Serviços
Barra de Ferramentas

Buscador
Previsão do Tempo
Tradutor
Viagens

Entretenimento
Cultura

Famosos
MAXX FM
Música
Sobre Rodas
Stations (Busca Rádios)

Estilo de vida
Homem

Mulher

Chat
Amizade

Encontros
Livre
Paquera
Sexo (+ 18 anos)
Webmasters
Outras salas

Fale conosco
Atendimento Virtual
Avalie-nos
E-mail

Fone Fácil
Fórum
Reclame Aqui
Redes Sociais

Copyright 2008 - 2016 © MAXX Internet - Todos os direitos reservados.
"O uso desse website significa que você aceita os Termos de Uso e a Política de Privacidade, em especial no que tange ao uso de cookies."

Informações Importantes | Política de Privacidade | Termos de Uso

Vá para o portal